terça-feira, janeiro 22, 2008

Livro X Filme: "Reparação"

Quando nos deparamos com a adaptação de um livro para as telas, o mais comum é ouvir: "O livro é sempre melhor do que o filme".

Sim, adaptar um clássico é um desafio incomensurável - mas há grandes filmes baseados em livros, alguns melhores que estes. O que podemos esperar, talvez até devemos, é que o filme transmita a mesma equação de reflexão e emoção que o livro no qual foi baseado, ainda que para se chegar a isso o diretor tenha que adaptar a estória às suas percepções.

O filme "Desejo e Reparação", baseado no livro de Mc Ewan, "Reparação", inicia-se narrando os fatos de maneira mimética ao desenrolar dos fatos no livro, mas já com alguns problemas. No filme, vemos Briony acusar falsamente Roby por ciúmes e imaturidade. Perde-se a dimensão de Briony como uma garota fantasiosa e criativa, uma futura escritora.

Mas é no final que o prejuízo é maior: em seu depoimento final, ela parece apenas interessada em expiar sua culpa, confortar-se. E assim, perde-se a melhor reflexão do livro. Perda irreparável!

2 comentários:

Leticia disse...

Vagando pela net, encontrei seu blog ! E leio a tempo, quietinha !
Comecei a ler o livro e vou ver o filme ... volto comentar depois !

gustavopamplona disse...

Não sabia dessa distância entre o livro e o filme.

Entretanto, o que me chamou a atenção no roteiro foi o papel da criança como testemunha e os efeitos perversos desencadeados.

"Criança" pode ser tomado no sentido metafórico e nos levar a uma reflexão sobre o papel das testemunhas como prova em processos judiciais.

Atts.
Gustavo Pamplona